Páginas

02 novembro 2010

Chama!


Me encontro aqui, pensando em ti,
No rádio uma canção de amor,
Dos olhos as lágrimas a bailar,
Deslizando sem que eu as possa impedir.
Meus olhos buscam pelos teus,
O corpo sedento já não mais pode esperar.
E tu...onde estás???
Perturbaste a fera que estava adormecida,
Me fizeste perder a rima,
Baixei a guarda prá te deixar entrar.
 
 
E agora, o que digo ao meu coração?
Como frear esse desejo que cresce sem parar?
Assoprastes as brasas que quase se apagavam,
Agora a chama queima e não estas aqui.
Vem aplacar a tormenta que criastes,
Desacelerar meu coração apaixonado,
Apagar a chama que queima e arde,
Tras a calmaria depois da tempestade.
 
Carla Piva

Um comentário:

  1. Irresistível apelo . Lindíssimo, Carla! Abraços. paz e bem.

    ResponderExcluir